PESQUISE A BIBLIOTECA DO NOTICIÁRIO-EVANGÉLICO

Sunday, March 18, 2012

ONU e Casa Branca abrem espaço ao islamismo no ocidente

O governo Barack Obama está emprestando legitimidade e abrindo espaço ao processo islâmico de formação do Califado Islâmico Global, baseado nas leis da sharia (postagem comentada).

O alerta
Inicia-se, em Washington, o planejamento para o califado islâmico.
Obama acelerou processo ao legitimar lei muçulmana para proibir críticas ao islamismo.
Um membro sênior de um instituto de políticas estratégicas com sede em Madri está alertando as pessoas amantes da liberdade sobre uma conferência de planejamento do califado que estará sendo realizada por muçulmanos em breve, uma ação que, segundo ele, foi acelerada recentemente com o apoio do governo de Obama quando permitiu uma conferência de três dias do “Processo de Istambul” em Washington.


Cala-boca global contra as críticas ao islã?
O evento, escreve Soeren Kern, membro sênior do Políticas Europeias do Grupo de Estudo de Madri, “deu [para a Organização Islâmica para a Cooperação] a legitimidade política que ela vem buscando para globalizar a iniciativa de proibir críticas ao islamismo”.
O evento que acontecerá, Conferência do Califado 2012, está sendo organizada por Hibz-ut-Tahrir, que Kern descreve como um “grupo pan-islâmico extremista que busca estabelecer um Estado islâmico global, ou califado, governado pela lei islâmica da sharia”.
A OIC, que tem 57 membros, vem há anos propondo uma lei internacional especial que tornará crime falar mal de Maomé ou de seus seguidores, mas nunca obteve sucesso sob seus planos passados que foram retratados como a proibição da “difamação das religiões”. Na verdade, o apoio para a ideia tinha começado a diminuir.

Golpe diplomático
Mas então propuseram a Resolução 16/18, um plano para os países “combaterem” coisas como “intolerância, estereótipo negativo e estigmatização de... religiões e crenças”. A ideia foi aprovada na Assembleia Geral da ONU apenas algumas semanas atrás e a análise de Kern comenta que seria altamente ineficaz, contanto que o Ocidente não a seguisse.
É por isso que foi um “golpe diplomático”, de acordo com Kern, quando Obama realizou a conferência de três dias em Washington, onde a secretária de Estado Hillary Clinton se comprometeu a atender ao que os muçulmanos mais têm buscado há anos: prender pessoas responsáveis quando a “liberdade de expressão”... “resulta em confrontos religiosos”.
A questão crítica que tem estado entre as razões para os planos assim chamados “anti-difamação” terem falhado anteriormente é que tais limites sugerem, e até requerem, que a culpa seja colocada na pessoa que fez a declaração, se a situação é que outro indivíduo reagiu a essa declaração de forma violenta.

Afronta à Liberdade de Expressão, criação de privilégios especiais
Defensores da liberdade de expressão estão preocupados com o comentário de que, “Uma coisa é as pessoas estarem apenas discordando. Isso faz parte do jogo. Isso é liberdade de expressão. Mas se resultar em confrontos religiosos, se resultar na destruição ou mutilação ou vandalização de locais religiosos, se até mesmo resultar em aprisionamento ou morte, então o governo deve prender aqueles que são os responsáveis”.
Na civilização ocidental, o padrão de responsabilidade seria fazer com que prestassem contas os que agem com violência, não os que fazem declarações que aqueles que agem com violência culpam por suas ações.

A estratégia da ONU é penalizar declarações ofensivas ao islã
A estratégia da ONU, proposta pelo Paquistão “em nome da Organização da Conferência Islâmica”, novamente cria uma porta aberta para culpar alguém por fazer uma declaração sobre o islamismo contra a qual os muçulmanos reagiriam violentamente, ao criar preocupações quanto ao “incitamento à descriminação, hostilidade ou violência”.
Além disso, “condena qualquer defesa de ódio religioso que constitua incitamento à descriminação, hostilidade ou violência”.
Preocupações repetidas têm sido levantadas por tais declarações, já que abrem portas para ataques a pessoas que fazem declarações sobre suas crenças, que alguém escolheria condenar como “de ódio”.
Na verdade, a resolução pede “medidas para criminalizar” alguns comportamentos relacionados.
Sharona Schwartz no site Blaze notou que o vídeo promocional em língua alemã para a conferência começa com: “O declínio implacável do capitalismo começou. Chegou a hora de lutar contra a pobreza. Hora de destruir injustiças. Hora para o sistema correto”.
O tal sistema correto é identificado como o islamismo.
Num relatório publicado pelo instituto Stonegate, Kern disse que o “objetivo explícito” do Processo de Istambul é criminalizar críticas ao Islã. 

Hizb ut-Tahir e seu processo de 3 estágios para estabelecer um governo islâmico global
Ele escreve, “De acordo com Steve Emerson, uma autoridade importante em redes extremistas islâmicas, Hizb ut-Tahir está emulando um processo de três estágios pelo qual os muçulmanos estabeleceram o primeiro califado islâmico após a morte do profeta Maomé, no ano 632. Durante o primeiro estágio, Hizb ut-Tahir constrói um grupo ao cultivar um pequeno número de apoiadores para se engajarem em recrutamento e propaganda. No segundo estágio (que Hibz ut-Tahrir está agora implementando na Europa e nos Estados Unidos), o grupo educa muçulmanos a fim de recrutarem um grupo maior de pessoas para se juntarem a Hizb ut-Tahrir e apoiarem sua revolução. Finalmente, tendo o apoio dos muçulmanos, Hizb ut-Tahrir age para estabelecer um governo islâmico governado pela sharia”.

A ONU combate a islamofobia ocidental mas ignora a cristofobia islâmica
Ele nota que a OIC há apenas duas semanas atrás patrocinou um simpósio em Bruxelas para falar sobre “anti-islamofobia”.
“A resolução 16/18, que foi adotada na sede do Conselho de Direitos Humanos da ONU em Genebra em março de 2011, é amplamente vista como um passo significativo à frente nos esforços da OIC para o avanço do conceito legal internacional de difamação do Islã”, ele informa.

Privilégios especiais para o islamismo com repressão à liberdade de expressão
Ele citou o relatório da Agência Internacional Islâmica, que declarou, “O fenômeno da islamofobia se encontra geralmente no Ocidente, mas está crescendo em países europeus em particular, de uma forma diferente do que ocorre nos EUA, a qual contribuiu para a elaboração da Resolução 16/18. A nova posição europeia representa o começo da mudança da sua reserva anterior ao longo dos anos com as tentativas da OIC para se opor à “difamação das religiões” no Conselho de Direitos Humanos e na Assembleia Geral das Organização das Nações Unidas.
WND escreveu anteriormente sobre a lei de Difamação Religiosa encaminhada pelos países islâmicos na ONU. Era “nada mais do que uma campanha para alcançar proteções especiais para o islamismo — uma ação para reprimir a liberdade de expressão”, de acordo com uma análise de Jay Sekulow do Centro Americano para Lei e Justiça.

Violação aos princípios fundamentais do direito de expressão
De acordo com a organização Direitos Humanos Primeiro, o plano simplesmente viola as normas fundamentais de direito de expressão.
Tad Stahnke, da Direitos Humanos Primeiro, disse que o conceito é “infeliz para indivíduos sob risco de que seus direitos serão com certeza violados sob a desculpa de proibição de ‘difamação religiosa’, bem como para os padrões de normas internacionais sobre a liberdade de expressão”.
O assunto também foi tratado por Carl Moeller, diretor da Portas Abertas EUA, numa entrevista com WND na época, por causa da iminente ameaça para as liberdades na América.
“Essa é uma batalha pelas liberdades básicas”, ele alertou.
“[A ideia da ONU] é Orweliana em sua perversidade”, ele disse, “ao usar uma linguagem como a anti-difamação de uma religião. Soa como como uma linguagem obscura cujo significado é diferente do que se diz, digno do livro ‘1984’ de George Orwell, devido ao que de fato essa linguagem faz”.
Ele disse que as nações muçulmanas vão usar essa lei para apoiar seus ataques aos cristãos por declarações simples como suas convicções na divindade de Jesus Cristo, a qual os muçulmanos consideram uma afronta.
Pior seria o efeito “assustador” na linguagem que o plano da ONU criaria ao redor do mundo, ele disse.
“Essa lei será uma grande benção para aqueles que querem amordaçar dissidentes em seus países e nos regimes islâmicos”, ele disse. “Essa lei é um monumento às massas "burras" nos Estados Unidos e em outros lugares, que não conseguem ver essa lei pelo que ela realmente é”.

Traduzido por Eliseu PLJ e Julio Severo do artigo do WND: Planning for Islamic caliphate
ACF2007(Gl 4:16 [ACF2007])
Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade? 
Com adaptações por  Pr. W.  Cipriano, Noticiário Evangélico


COMENTÁRIO DA REDAÇÃO: Terror e violência em nome da fé
Esse hábito de legisladores estabelecerem leis que pervertem as bases do direito não é nova. No Brasil temos presenciado as táticas das classes gays em criar leis que emprestem-lhes privilégios especiais através dos quais poderão exercer uma verdadeira ditadura gay no Brasil. A ONU e o Governo Obama seguem no mesmo rastro, usando a mesma tática para estabelecer privilégios especiais ao islamismo. O objetivo de tais interesses não é muito difícil de entender. Haveria, afinal, algum fundo de verdade nas especulações contra Obama e sua ascendência genealógica islâmica? É esperar para ver. O fato é que o islã está invadindo a cultura ocidental, trazendo (veladamente) seu ódio contra tudo que não é islamismo, e juntamente com esse ódio serão vistos, num futuro próximo,  os atentados violentos dessa falsa religião, que tem lançado países no caos onde quer que eles ganhem apoio e espaço. É a religião que se estabelece pelo terror. O caos poderá, muito em breve, marcar definitivamente a história americana. Bush invadiu países islâmicos com forças militares e, agora, os países islâmicos invadirão os países ocidentais com seus ataques suicidas aos não-islâmicos. Afinal, segundo as regras "veladas" do islã, morrer matando opositores à fé islâmica lhes garante a recompensa imediata no céu islâmico. É só se "explodir" aqui para ganhar o céu de Alá. Loucura satânica, não? Algo completamente diferente do Evangelho, que nos ordena a anunciar a fé em Jesus Cristo ao mundo inteiro, mas que jamais nos permite tirar dos ouvintes o direito de rejeitarem essa mensagem. Com isso, os verdadeiros cristãos, através dos séculos, tem sido perseguidos e mortos sem levantar suas mãos. A Igreja de Jesus é basicamente pacífica, pois aprendeu a lição que Cristo ensinou ao apóstolo Pedro: Mas Jesus disse a Pedro: Põe a tua espada na bainha; não beberei eu o cálice que o Pai me deu? - João 18:11. A espada do cristão verdadeiro é a Palavra de Deus,  porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.Hebreus 4:12. Respeitar a opinião do próximo e usar apenas a Palavra de Deus para evangelizar são os princípios básicos do Evangelho, que rejeita a violência, a qual será punida pelo Verdadeiro Deus. Então temos no islã um deus falso, que ama a violência e retribui com promessas do céu islâmico aqueles que matam e espalham o terror em nome da fé.


Diferenças entre os princípios cristãos e os princípios islâmicos
Terror e violência se opõem aos princípios de paz, amor, justiça e respeito ao próximo. A diferença entre esses princípios é a diferença entre o Islã e o Evangelho de Jesus Cristo. Os critérios do Evangelho  mostram a perfeição das doutrinas cristãs de amor ao próximo e respeito às divergências de opinião. Nossa arma é a palavra, essa sim capaz de levar "entendimento" à humanidade. Já a violência resulta sempre em mais violência e muita destruição. Quem quiser segui o islã estará fadado à morte espiritual e a uma vida de muita violência e desrespeito ao ser humano não-islâmico. Os seguidores do islã são, assim, escravos  do poder dass trevas que moldou e direciona essa falsa religião, onde jamais prevalece a sensatez, mas a loucura e a violência. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça a Palavra de Deus, enquanto pode, pois o fim da Igreja de Jesus se aproxima rapidamente, e o mundo beira o caos do período profético chamado A Grande Tribulação. - Pr. Wagner Cipriano


SAIBA MAIS LENDO:

2 dias atrás ... Islamismo, uma religião de paz? (Peace on Earth). Uma multidão de anjos apareceu no céu louvando a Deus e anunciando o nascimento de ...
biblioteca-evangelica.blogspot.com
7 mar. 2011... aparente paz entre ocidente e oriente, entre árabes e israelenses. ... Apostasia galopante · APOLOGIA · Islamismo, uma religião de paz?
biblioteca-evangelica.blogspot.com



2 dias atrás ... Marcadores: Conversões, Convertidos, Cristianismo eislamismoIslamismoIslã, Isto é Islã, Lançamentos, livros evangélicos, Terrorismo ...
noticiario-evangelico.blogspot.com

9 jun. 2011 ... Isto é islã!!! A sombra velada por trás dos muçulmanos. É muito importante entendermos o que pensam e como agem os muçulmanos.
expressaoevangelica.blogspot.com

14 jan. 2012 ... O islamismo é sua religião oficial. Segundo o artigo 2 da Constituição do Kuwait o islã é a religião oficial no país e a Sharia sua principal fonte ...
noticiario-evangelico.blogspot.com

28 fev. 2012 ... O Islamismo reivindica que Alá é o mesmo Deus revelado na Bíblia. Isso logicamente implica, num sentido positivo, que o conceito de Deus ...
biblioteca-evangelica.blogspot.com
1 dia atrás ... O Islamismo reivindica que Alá é o mesmo Deus revelado na Bíblia. Isso logicamente implica, num sentido positivo, que o conceito de Deus ...
biblioteca-evangelica.blogspot.com

25 jun. 2010 ... Indonésia: Islã mantém sob força mais de mil crianças sequestradas - Mais de mil crianças foram sequestradas e forçadas a seguir o islã e, ...
biblioteca-evangelica.blogspot.com


NOTICIÁRIO EVANGÉLICO no Twitter Visite, conheça e acompanhe o Buzz da Cultura Evangélica e Coloque-o no seus Favoritos - Esperamos você Visite: Mensagens Bíblicas do Livro de Apocalipse, Notíciário Gospel, Bíblias Eletrônicas Free, Estudos Bíblicos

10+ do Mês no Noticiário Evangélico

Posts Comentados Evangélicos no Mundo Israel Igreja Perseguida evangelização Nacionais Pastores Homossexualismo Evangelho no Mundo Testemunhos Boletim de Ocorrências Evangelismo Islamismo Lançamentos Fim dos Tempos intolerância religiosa contribuição evangélica Fim do Mundo Conflito árabe-israelense Oriente Médio Tempo do Fim muçulmanos Apocalipse Desempenho Evangélico leis apostasia Notícias de Israel Islã Fim dos Dias Eventos anticristo homofobia UniãoNet Bancada Evangelica Homofobia X Liberdade de Expressão TRIBUNAIS Política Fim da Igreja Convertidos Conversões Crimes Heresias Tragédias Arrebatamento Ciência Falsas Doutrinas Falsas Religiões Lei Anti-Homofobia sinais dos tempos Arqueologia Ateísmo Filme Grande Tribulação Ciência e Tecnologia Gospel Music Tribulação Direito de Israel ecumenismo Catolicismo PLC 122/06 Acidentes Degradação Moral Restauração de Israel conversão Bíblia X Apostasia Alerta Bíblico Doutrina ICAR IURD Jerusalém Perversão das Leis Casamento Desvarios das Leis Kit Gay Abominações Governo Mundial ONU Terrorismo Discriminação Educação Sexual Gogue e Magogue Ocorrências Polícia Satanismo anticristos Arca de Noé Drogas Política e Religião Seitas Teologia da Prosperidade Comentários Bíblicos Evangelização em Israel Filme Evangélico Livro fé evangélica Bíblia Cartilha Homossexualizante Criacionismo Fanatismo Religioso Sexo Crise Financeira Desvio de Comportamento Ensino Religioso nas Escolas Mídias Homossexualizantes cultura evangélica curiosidades Justiça dos homens X Justiça de Deus Política versus Evangelho SEMANÁRIO EVANGÉLICOS NO MUNDO Sociedade Bíblica do Brasil - SBB Vaticano meditação bíblica 2012 Antisemitismo Doença Espiritual Ferramentas do Evangelho Kit Promiscuidade Liberdade Religiosa Liberdade da Crença Microchips Nova Ordem Mundial Pastortos Pecado Pornografia STF Santificação religiões unidas Alerta Evangélico Direitos Humanos GLS Pedofilia Profecias Maias ecumênico rainha das religiões Ambiente Idolatria Maçonaria Mordaça Gay Novidades da Informatica Terremotos Tribunais de Inquisição Acordo de Paz Arrependimento Bíblia na China Edificação Espiritual Exportando fé GLBT Habeas Corpus Lutero Nova Era ORU Operação do Erro Processo de Paz Protestante Protestantismo Qumran Softwares evangélicos curiosidades bíblicas restauração sentença divina Abaixo Assinado Agentes do Engano Arca da Aliança Arrebatômetro Calendário Judaico Disciplinando os Filhos Divórcio Evangélicos X Carnaval Judeus Messiânicos Ocultismo: Invasão Silenciosa Programa Brasil sem Homofobia Queda Espiritual Símbolos Pagãos Virgindade besta bússola dourada obra de Deus AH1N1 Adoção Anjo Caído Castidade Deísmo Diabo ECA Megaterremoto PNDH3 Pestes Prêmio Nobel da Paz STJ apóstolos
There was an error in this gadget