PESQUISE A BIBLIOTECA DO NOTICIÁRIO-EVANGÉLICO

Tuesday, April 10, 2012

Monografia aborda julgamento de Jesus Cristo


O julgamento de Cristo: a maior farsa jurídica da história humana afirma pesquisador

Era uma noite de 5a.feira e começava o maior escândalo judicial da história da humanidade: a condenação de Cristo.

Anás, sogro do Sumo Sacerdote Caifás, interrogou Jesus quando não tinha mais autoridade para isto.
Jesus é vítima da covardia de Pilatos, e dos poderosos de então por questionar o antropocentrismo e a transformação do templo, em banco central da Judéia, útil a concentrar fortunas, enquanto deveria ser um lugar sagrado.
Pilatos declarou por cinco vezes não existir crime algum, mas lavou as mãos e permitiu a condenação de Cristo a morte na cruz.
De acordo com a legislação da época somente os escravos poderiam ser penalizados assim. 
As ilegalidades do julgamento foram muitas e claramente absurdas.
Imaginemos que Jesus é um humilde camponês brasileiro, habitante de um vilarejo nordestino à época dos coronéis, mandatários machistas e concentradores do poder. 
Jesus pacificamente questiona os latifundiários. Luta por respeito e igualdade de direitos.
Atrai multidões e por este motivo é perseguido e traído por um de seus partidários que em troca de algum dinheiro entrega Jesus a capatazes e fazendeiros.
Em uma noite de 5a.feira ele é preso sem qualquer justificativa legal e antes de chegar ao tribunal competente é agredido, julgado e condenado à morte por um grupo de vereadores.
De lá é conduzido à metrópole com testemunhas pagas para mentir.
A comparação é feita por Roberto Victor Pereira Ribeiro, no livro “O Julgamento de Cristo à Luz do Direito” que detalha as ilegalidades da condenação de Cristo.
A produção da obra começa quando o advogado entra para  a   faculdade e se debruça incansavelmente sobre a pesquisa. Aprende grego   e   hebraico para ler a   Bíblia  nos   originais.
Durante cinco anos de estudo, se depara com a escassez bibliografia sobre os aspectos jurídicos da condenação mais famosa da história da humanidade, mas não desanima. 
O resultado foi a monografia, hoje bibliografia do curso de Direito da Universidade de Sorbonne, na França. Confira a seguir a entrevista de Roberto Victor ao portal de notícias direitoce. 


direitoce: No Direito Brasileiro Jesus seria condenado? 
Roberto Victor: No Direito brasileiro é necessário ter o fato típico. Recorrendo a maestria   e   a   cristalinidade   da   sabedoria   de  Nelson   Hungria  e     Claúdio   Heleno Fragoso     nós   podemos   observar   que   o   curandeirismo   no   Brasil   a   forma   a   qual precisou     ser tipificada    no  código    é  totalmente    diferente    daquela que   Jesus aplicava.  
O   curandeirista   é   aquele   que   passa   remédios,   que   passa   receitas,   é aquele   que   através   de   embustes   engana   pessoas.   Você  está  com   uma   patologia crônica, uma patologia realmente aos olhos da Medicina e ele passa uma pílula do mato, uma erva. Jesus nunca fez isso! 

direitoce: E no Direito Hebraico? 
Roberto   Victor:   Então, Deus conversando com Moisés no Deuteronômio, Moisés perguntou: e quem és tu?  Eu sou o que sou. E esse eu sou o que sou foi transformado em quatro letrinhas, era YHWY e só podia ser pronunciada uma vez ao ano.Traduzindo era Javé, Jeová. Jesus nunca pronunciou essa palavra, logo ele não poderia ter sido condenado.Por isso aí a gente já poderia derrubar a primeira acusação dele.Mesmo assim, ele foi condenado.
A segunda acusação é de que ele teria infringido o sábado.O que Jesus fez no dia de sábado? Ele curou a mão de um pedreiro. Curar não estava previsto na lei do Sabat, até porque não era comum ter curandeiro ou ter profetas.  Por   isso, não   houve   necessidade   de   colocar   no texto da lei que era proibido curar no dia de sábado. O Direito Hebraico ele teve dezenove ilegalidades, durante o procedimento hebraico, no qual se tivessem sido respeitado no mínimo duas, que era não cuspir e não bater na cara do acusado e que   estava   isso   preceituado   na   lei   e   que não foi respeitado com Jesus.  
E a segunda, se ele tivesse o direito de ter sido interrogado numa sessão normal do Sinédrio, que era a Suprema Corte de Israel na época, durante o dia, se essas duas únicas formalidades fossem respeitadas, a gente poderia até esclarecer que Jesus foi   condenado,   mas   foi   condenado   justamente.  Mas,   tirando   tudo   isso   e   apesar dele não ter feito nenhum ato proibitivo por lei, ainda teve dezenove ilegalidades no processo judicial hebraico. 

direitoce :  Jesus seria condenado no Direito Romano? 
Roberto Victor: Depois da sessão do Sinédrio,na qual o sumo sacerdote Caifáz, ao final proclama que Jesus é culpado e por isso ele é réu de morte, ele foi levado, manietado até a casa de Pilatos. Porque? Nessa época, mais precisamente durante os anos vinte ou trinta na região da Galiléia, a   qual o Prefeito Pôncio Pilatos tinha a jurisdição, só quem tinha o direito de morte é Roma. Para a pessoa ser morta tinha que Roma autorizar.  
E por isso, uma vez condenado de réu de morte num procedimento hebraico Jesus foi manietado e levado até a casa de Pôncio Pilatos. Chegando   lá, Pilatos afasta a turba judaica que tinha acompanhado. Pede para os soldados acalmarem aquele tumulto e traz Jesus para dentro de um ambiente mais tranquilo, dentro da sua casa para interrogá-lo. É lá que ta aquela célebre passagem: o que é a verdade? Então Jesus olha para ele e diz: tu dizes o que é a verdade,   eu não digo nada.  
E daí se fizeram várias e várias perguntas. Ao final, Pilatos sai, Jesus fica lá dentro do recinto. Pilatos, do palácio   dele  diz   aos   judeus, esse   réu   não   é   réu   de   morte,   eu   não   vejo   crime nenhum nesse inocente.Depois dessas palavras acontece aquela célebre cena que todo o mundo conhece, ele é réu de morte, ele deve morrer. E aí vem aquela cena famigerada, conhecida  no mundo todo. Pilatos pede uma bacia d’água e lava as mãos.Pelo Direito Romano ele jamais poderia lavar as mãos, até porque lavar as mãos não era um costume habitualmente dos judeus.O Romano ele não tinha o costume   de   lavar   as   mãos,   nem   antes   das   refeições,   nem   depois   das   refeições, nem quando acordar, nem quando ao dormir.Ele tava querendo se filiar aquele povo.Ele sabia se aquele povo se revoltasse poderia colocá-lo pra fora a qualquer instante até porque já tinham sido feitas três denúncias contra a ele ao imperador César. Então ele pensou o seguinte eu vou lavar as mãos porque vai ser o primeiro sinal   de   que   eu  estou  comungando   com   a   versão   deles.  
A  segunda   coisa,   vou acabar condenando ele por morte porque quando ele lava as mãos e retorna ao recinto, um judeu muito perspicaz, chamado Anás,  que tinha sido sumo sacerdote chega   no   ouvido   dele   e   diz   Pilatos   se   tu   não   condenar   esse   homem   nos   vamos denunciá-lo   a César   dizendo   que   ele   chegou   aqui     dizendo   que   ele   era   Rei   dos Judeus .E rei dos Judeus não existe, o Rei dos Judeus é César, o nosso imperador.Então ele perspicazmente, de forma nefasta, cruel, disse isso a Pilatos e Pilatos numa covardia imensa, voltou a varanda e disse, então ele será crucificado. [FONTE: http://www.direitoce.com.br/noticias/54891/.html]


NOTICIÁRIO EVANGÉLICO no Twitter Visite, conheça e acompanhe o Buzz da Cultura Evangélica e Coloque-o no seus Favoritos - Esperamos você Visite: Mensagens Bíblicas do Livro de Apocalipse, Notíciário Gospel, Bíblias Eletrônicas Free, Estudos Bíblicos

10+ do Mês no Noticiário Evangélico

Posts Comentados Evangélicos no Mundo Israel Igreja Perseguida evangelização Nacionais Pastores Homossexualismo Evangelho no Mundo Testemunhos Boletim de Ocorrências Evangelismo Islamismo Lançamentos Fim dos Tempos intolerância religiosa contribuição evangélica Fim do Mundo Conflito árabe-israelense Oriente Médio Tempo do Fim muçulmanos Apocalipse Desempenho Evangélico leis apostasia Notícias de Israel Islã Fim dos Dias Eventos anticristo homofobia UniãoNet Bancada Evangelica Homofobia X Liberdade de Expressão TRIBUNAIS Política Fim da Igreja Convertidos Conversões Crimes Heresias Tragédias Arrebatamento Ciência Falsas Doutrinas Falsas Religiões Lei Anti-Homofobia sinais dos tempos Arqueologia Ateísmo Filme Grande Tribulação Ciência e Tecnologia Gospel Music Tribulação Direito de Israel ecumenismo Catolicismo PLC 122/06 Acidentes Degradação Moral Restauração de Israel conversão Bíblia X Apostasia Alerta Bíblico Doutrina ICAR IURD Jerusalém Perversão das Leis Casamento Desvarios das Leis Kit Gay Abominações Governo Mundial ONU Terrorismo Discriminação Educação Sexual Gogue e Magogue Ocorrências Polícia Satanismo anticristos Arca de Noé Drogas Política e Religião Seitas Teologia da Prosperidade Comentários Bíblicos Evangelização em Israel Filme Evangélico Livro fé evangélica Bíblia Cartilha Homossexualizante Criacionismo Fanatismo Religioso Sexo Crise Financeira Desvio de Comportamento Ensino Religioso nas Escolas Mídias Homossexualizantes cultura evangélica curiosidades Justiça dos homens X Justiça de Deus Política versus Evangelho SEMANÁRIO EVANGÉLICOS NO MUNDO Sociedade Bíblica do Brasil - SBB Vaticano meditação bíblica 2012 Antisemitismo Doença Espiritual Ferramentas do Evangelho Kit Promiscuidade Liberdade Religiosa Liberdade da Crença Microchips Nova Ordem Mundial Pastortos Pecado Pornografia STF Santificação religiões unidas Alerta Evangélico Direitos Humanos GLS Pedofilia Profecias Maias ecumênico rainha das religiões Ambiente Idolatria Maçonaria Mordaça Gay Novidades da Informatica Terremotos Tribunais de Inquisição Acordo de Paz Arrependimento Bíblia na China Edificação Espiritual Exportando fé GLBT Habeas Corpus Lutero Nova Era ORU Operação do Erro Processo de Paz Protestante Protestantismo Qumran Softwares evangélicos curiosidades bíblicas restauração sentença divina Abaixo Assinado Agentes do Engano Arca da Aliança Arrebatômetro Calendário Judaico Disciplinando os Filhos Divórcio Evangélicos X Carnaval Judeus Messiânicos Ocultismo: Invasão Silenciosa Programa Brasil sem Homofobia Queda Espiritual Símbolos Pagãos Virgindade besta bússola dourada obra de Deus AH1N1 Adoção Anjo Caído Castidade Deísmo Diabo ECA Megaterremoto PNDH3 Pestes Prêmio Nobel da Paz STJ apóstolos
There was an error in this gadget